Hoje o papo é sério! Você sabia que o Dia Internacional de Luta Contra a Discriminação Racial é comemorado no dia 21 de março?

Pensando nisso, resolvemos fazer um post para esclarecer alguns pontos e juntos tentarmos mudar um pouquinho a realidade, ok? Afinal, a mudança começa em cada um de nós e é construída no nosso dia a dia, com pequenas (ou grandes) atitudes! 😉

Você sabe o que é a discriminação racial?

“Discriminação Racial significa qualquer distinção, exclusão, restrição ou preferência baseada na raça, cor, ascendência, origem étnica ou nacional com a finalidade ou o efeito de impedir ou dificultar o reconhecimento e/ou exercício, em bases de igualdade, aos direitos humanos e liberdades fundamentais nos campos político, econômico, social, cultural ou qualquer outra área da vida pública” Art. 1.

E você sabe qual a origem da data?

Foi criada pela ONU em 1969 nesta precisa data devido ao massacre ocorrido em Joanesburgo a 21 de março de 1960: o Massacre de Sharpeville.

Neste dia 20.000 pessoas protestavam pacificamente contra a Lei do Passe, que obrigava a população negra a ser portadora de um cartão com identificação dos locais onde era permitida a sua circulação. A polícia do regime de apartheid disparou na multidão desarmada, causando 69 mortos e 186 feridos.

E como podemos combater o racismo?

Mudar comportamentos tão enraizados em uma sociedade não é algo simples de se fazer. Mas acreditamos que se cada um de nós começar a questionar comportamentos (próprios e alheios), e desconstruir ideias antigas, estaremos pelo menos um pouco mais próximos de um mundo mais justo.

Segue abaixo uma lista, divulgada pela ONU, de 10 maneiras de combater o racismo (ONU/UNICEF, 2010 – adaptação)

1. Eduque a sociedade para respeitar as diferenças. você pode encontrá-la nos tipos de brinquedos do seu filho, nos vários idiomas falados, nos costumes entre os amigos e pessoas de diferentes culturas, raças e etnias. Conviver com a diversidade é essencial!

2. Nem tudo que é piada é engraçado: Textos, histórias, olhares, piadas e expressões podem ser estigmatizantes com outras pessoas, culturas e tradições. Indigne-se e esteja alerta se isso acontecer – contextualize e sensibilize!

3. Não classifique o outro pela cor da pele ou simplesmente pelo seu fenótipo. Lembre-se: racismo é crime.

4. Se seu filho ou filha foi discriminado, abrace-o, apoie-o. Mostre-lhe que a diferença entre as pessoas é algo natural, pois faz parte da diversidade do mundo, e que cada um pode ser diferente e usufruir de seus direitos igualmente.

5. Denuncie. Em todos os casos de discriminação, você deve buscar defesa no conselho tutelar, nas ouvidorias dos serviços públicos, na OAB e nas delegacias. A discriminação é uma violação de direitos. Portanto, assim que você for abordado de forma racista, ou presenciar uma atitude racista, reaja prontamente: ligue de imediato para o 190 e registre uma ocorrência policial.

6. Estimule a convivência de crianças, adolescentes, jovens e adultos de diferentes raças e etnias nas brincadeiras, nas salas de aula, em casa ou em qualquer outro lugar ou ambiente.

7. Valorize e incentive o comportamento respeitoso e sem preconceito em relação à diversidade étnico-racial.

8. Muitas empresas estão revendo sua política de seleção e de pessoal com base na multiculturalidade e na igualdade racial. Procure saber se o local onde você trabalha participa também dessa agenda. Se não, fale disso com seus colegas e supervisores.

9. Órgãos públicos de saúde e de assistência social estão trabalhando com rotinas de atendimento sem discriminação para famílias indígenas e negras. Você pode cobrar essa postura dos serviços de saúde e sociais da sua cidade. Valorize as iniciativas nesse sentido.

10. As escolas são grandes espaços de aprendizagem. Em muitas, as crianças e os adolescentes estão aprendendo sobre a história e a cultura dos povos indígenas e da população negra, bem como sobre as alternativas para enfrentar o racismo. Verifique se a escola de seus filhos também adota essa postura, com a implantação da Lei 10.639/2003 e da Lei 11.645/2008.

Então, vamos juntos? Essas dicas podem parecer óbvias, mas podem nos ajudar a construir um mundo mais justo e igualitário se levadas a sério. Vamos respeitar as diferenças sempre, e não julgar “mimimi” o que pra você pode não ser uma realidade, mas para outros sim. O racismo é real, infelizmente. Vamos nos esforçar para que ele não seja.

Fonte: Lista Racial; Geledes; Calendarr

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários 94